quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Pedindo discernimento para o novo ano!

 

03 de janeiro 2021

Salmo 119.97-104; 1Reis 3.4-15; Efésios 1.3-14; Lucas 2.40-52

Texto: 1Reis 3.4-15

Tema: Pedindo discernimento para o novo ano!

 

Educado de maneira cristã sob a tutela do amor e da misericórdia de Deus, Salomão mostra que seus valores são diferentes e esses o levaram a pedir à Deus algo extraordinário.

Observa-se uma certa escala de valores no pedido feito por Salomão a Deus. Nossos pedidos a Deus revela algo sobre nossos valores, e também, sobre a sua situação no momento. Alguém doente, pedirá por saúde.

Salomão, diz o verso 3, amava o Senhor. E seu amor a Deus, o levou a Gibeão oferecer sacrifícios a Deus.

E quando parece estar demonstrando seu amor a Deus, é Deus quem se apresenta como amoroso e diz: peça o que quiser e eu lhe darei. E Salomão pede o que para ele era mais importante, saber governar e discernir entre o bem e o mal. Não pediu uma vida longa e cheia de riquezas.

As pessoas aos milhões buscam vida longa. Vida longa é empurrar a morte para a frente. No filme “Premonição” as pessoas com o dom de antecipar os acontecimentos da morte, acabam empurrando a morte para frente. As pessoas buscam empurrar a morte para frente por meio de dietas, tratamentos, produtos farmacêuticos, aparelhos sofisticados que fazem o maior sucesso de vendas, planos de saúde, cirurgias de retirada de algum eventual intruso que possa acelerar ou antecipar a morte, etc. Não que seja contra esses métodos ou que diga, aceitemos a morte numa boa. Nada disso! Mas, tudo é uma questão de desejarmos vida longa. O desejo é viver muitos anos. Para que?

Em nossa escala ade valores não sabemos por que queremos estar vivos amanhã. Qual frase iria definir você na lápide do seu túmulo. “Aqui jaz...

Para que viver muitos anos. E se os muitos anos são vividos sem horizonte!

A ciência busca alongamento da vida. Isso é maravilhoso, e digo, é bênção de Deus. Mas, para que se vive?

Salomão não pediu vida longa, pediu que nos dias da sua vida e sabe até onde seriam, ele os queria aproveitar julgando com justiça e discernindo entre o bem e o mal.

Fazer da nossa vida uma vida de serviço ao Senhor! Que tal?

Se vive para tantas coisas. A vida é tão corrida que esquece-se de viver os pequenos e bons momentos. Sabe, o teu filho(a) cresceu tão rápido que você não se deu conta. Você não aproveitou para rir com os primeiros passos, agora sente saudades, na verdade, não consegue nem recordar. Ano passado, tivemos tantas oportunidades para servir a Deus, mas não aproveitamos. No entanto, mais um ano, mais uma vez o amor de Deus está sendo renovado por e para nós. Novas oportunidades nos serão dadas.

Sei que você precisa do dinheiro. Perde muito tempo, tempo com a família, com a igreja, com os amigos para ganhar o dinheiro, pelo menos peça a Deus sabedoria para usá-lo. Sei que você precisa da família, mas sabe, muitas vezes abandona as amizades e como diz a Bíblia, há amigo, mais chegado que um irmão. Você também precisa de lazer, afinal, ninguém é de ferro, mas, não só de risos viverá o homem.

Discernimento! Esse é um bom pedido que podemos fazer para Deus nesse novo ano.

Sem discernimento, passaremos o ano, sem aproveitar as coisas boas. Sem exercer a nossa função de servo de Deus, representante de Deus na família, no trabalho e no lazer.

Vida longa – para que? A morte é uma intrusa. Para a morte só há uma cura, Jesus. Todo aquele que está na fé em Jesus mesmo que seja atingido por essa intrusa não morrerá, mas viverá eternamente.

Que em nossa escala de valores esteja a vida eterna. Buscamos viver uma longa vida, mas não corramos o risco dessa busca tirar de nós a vida eterna que nos é oferecida e dada gratuitamente em Jesus. Amém!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

A Palavra que nos permite dizer: Feliz natal!

 

                                         Culto de NATAL

Salmo 2; Isaias 52.7-10; Hebreus 1.1-6; João 1.1-14

 

Texto: João 1.1-14

Tema: A Palavra que nos permite dizer: Feliz natal!

 

As pessoas sempre questionam sobre a presença de Jesus na criação do mundo. O apostolo João declara: “...e o verbo era Deus...” (Jo 1.1).

O Espírito Santo, autor das Sagradas Escrituras, nos responde pelo apostolo João a presença de Jesus na criação. Em Jesus se dá a nova criação de Deus. Por isso, o apostolo Paulo escreve aos Coríntios que quem está em Cristo é nova criatura (2Co 5.17).

Natal é dia em que a igreja celebra o nascimento de Cristo. Dia de natal é dia de celebrar a nova criação de Deus, onde a Palavra feita gente nasceu e nessa palavra, ou melhor, nesse Jesus, Deus encontra-se com a humanidade.

O filho que nasceu, como escrito pelo autor a carta aos Hebreus, “...é a expressão exata do seu ser ...” (Hb 1.3). Na manjedoura em Belém, encontramos o Filho de Deus que veio para nos tornar filhos e filhas de Deus.

Assim como a Palavra (Jesus) de Deus pronunciada na criação e a luz veio a existir, assim, Jesus é a luz desse mundo (Jo 8.12). Jesus é o pão da vida. Jesus é a Palavra criadora de Deus. É a palavra que se fez homem. É a palavra que cria nova vida nos seres humanos ainda hoje.

Deus age por sua Palavra. Deus abre a boca e coisas novas acontecem. Por isso, Ele deseja falar uma vez por semana com você. Essa é a exortação do terceiro mandamento. Por esse motivo o apostolo João termina esse evangelho esclarecendo que tudo o que está escrito é para que as pessoas tenham vida (Jo 20.31).

Mais um natal!

Entre as muitas coisas, fatos e situações em que as pessoas julgam como sendo fundamental para que o natal seja feliz, o apostolo João lembra que o natal só é feliz por causa da Palavra que se fez carne. A palavra que traz vida e salvação (Jo 14.4). Essa Palavra traz vida em abundância (Jo 10.10). Essa Palavra é caminho, verdade e vida (Jo 14.6).

A Palavra fez tudo o que vemos existir (Gn 1.3). A Palavra encarnada de Deus fez e faz a igreja se reunir. Essa Palavra é que faz o natal ser natal. E é por causa da Palavra que posso lhe dizer uma palavra: Feliz natal! Amém!

ERT

Edson Ronaldo TREssmann

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

A mensagem do anjo: Deus está ocupado em salvar!

 

Quarto Domingo de ADVENTO

Salmo 89.1-5; 2Samuel 7.1-11,16; Romanos 16.25-27; Lucas 1.26-38

 

Texto: Lc 1.26-38

Tema: Amensagem do anjo: Deus está ocupado em salvar!

 

A vela que marca o quarto domingo de advento foi acesa. Cada vela ao ser acesa, trouxe uma mensagem. A primeira vela acesa indicou a profecia. A segunda indicou Belém. A terceira vela foi dos pastores e hoje, ao ser acesa a quarta vela, nos recordamos dos anjos.

Os anjos sempre estiveram presentes, trazendo uma mensagem especial para o povo de Deus e relatando as grandes intervenções de Deus na história com intuito de salvar.

Sara, mulher estéril (Gn 18.9-15); Moisés (Ex 3); Gideão (Jz 6.12); mãe de Sansão, mulher estéril (Jz 13.2-5); Ana, mãe de Samuel, mas o anjo foi Eli (1Sm 1.9-18); Zacarias, cuja mulher era estéril (Lc 1.11); Maria, uma jovem virgem (Lc 1.28, 36).

Em todos esses relatos onde um anjo ou o próprio Deus apareceu, a mensagem é muito similar. E essa similaridade indica que o Deus que age é o mesmo e que seu objetivo é único: salvar.

O anjo iniciou o diálogo com Maria dizendo: “...o Senhor está com você” (Lc 1.28). Essas palavras marcam o desafio ante a missão que Deus estava por realizar. E sendo missão de Deus, ele estaria conduzindo todas as coisas.

Essas mesmas palavras foram anunciadas para Moisés (Ex 3.12), Josué (Js 1.9), Gideão (Jz 6.12), Jeremias (Jr 1.8). E são ditas a nós principalmente nesses dias em que andamos desanimados e preocupados com o futuro da igreja.

Ao destacar a presença de Deus, o anjo anuncia a frase preferida de Deus: “...não tenha medo” (Lc 1.30). Uma frase que pela tradução Revista e Corrigida e Revisada Fiel aparece 61 vezes. É Deus dizendo: “se eu estou contigo, não temas.” Essa presença constante foi a promessa do próprio Jesus ao incumbir sua igreja de ir e realizar a missão de Deus: batizar e fazer discípulos.

O anjo, trazendo uma mensagem de Deus para Maria, diz que tudo o que está por acontecer é cumprimento da promessa do próprio Deus. Assim, o anjo anuncia a promessa que foi feita para Davi (2Sm 7.1-11,16) e a profecia anunciada pelo profeta Isaias (Is 7.14) sobre a gravidez de uma virgem e o nome de Jesus.

O Senhor está com você, não tenha medo. Deus sempre se ocupou e ocupa em salvar. Fez promessas, as cumpriu e outra ainda cumprirá. Se poucas pessoas foram agraciadas com uma mensagem direta dos anjos, eis que, um dia todos nós seremos despertados pelas trombetas tocadas por anjos.

Maria, pensativa sobre a missão de Deus, pergunta como tudo se realizaria, afinal, não era estéril como Sara, Ana, Isabel, mas, era virgem e nem casada estava. E o anjo indica para Maria o mistério insondável de Deus, o mistério da concepção virginal.

Em outras palavras, o anjo anuncia a intervenção milagrosa de Deus pelo Espírito Santo. Essa é uma mensagem muito especial para o natal, afinal, se ainda há os que creem que Jesus nasceu e que ele é o centro do natal, é sinal da obra especial do Espírito Santo. O Espírito Santo é quem realiza o impossível para os seres humanos: fazê-los crer!

Querida igreja! Esse foi o valioso diálogo entre o anjo e Maria. Um diálogo onde nos é revelado o mistério insondável de Deus, ocupado em salvar seu povo. Um diálogo que mostra Jesus sendo concebido e assim se tornando homem para resgatar o ser humano pecador.

O Espírito Santo ainda hoje, assim como é desde a criação do mundo (Gn 1.2), age para realizar grandes feitos da parte de Deus, “porque para Deus não há nada impossível” (Lc 1.38) quando o assunto é salvação.

Deus quer tanto salvar o ser humano, que o próprio Jesus destaca que só há um pecado para o qual não há perdão, recusar-se a crer em Jesus. Ou seja, o pecado contra o Espírito Santo (Mt 12.31-32). Nesse sentido, a obra do Espírito Santo em nos fazer crer no filho encarnado de Deus que foi enviado como homem para salvar o ser humano perdido. O apostolo Paulo escreveu: “Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus” (Ef 2.8)

Toda obra da salvação é resultado da ação graciosa de Deus. Assim, a resposta da igreja precisa ser “aqui está a serva do Senhor...” (Lc 1.38). Essa frase significa empregada do Senhor.

É um título empregado pelo profeta Isaías no sentido de que a missão do povo de Deus não é apenas um privilégio, mas um serviço em favor dos outros. Deus está ocupado em salvar e usa seus filhos e filhas para realizar esse serviço. O próprio Jesus disse que veio para servir (Mt 20.28). Assim como nos serviu, somos enviados para servir (2Co 8.9; 1Tm 2.6; Tt 2.14). E nesse servir, continua anunciando: o Senhor está com você, não tenha medo, pois o Deus ocupado m salvar, age pelo poder do Espírito Santo. Amém!

ERT

Edson Ronaldo TREssmann

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Não apagueis o Espírito!

 

Salmo 126; Isaías 61.1-4,8-11; 1Tessalonicenses 5.16-24; João 1.6-8,19-28

Texto para prédica: 1Tessaloncenses 5.19

Tema: Não apagueis o Espírito!

 

Uma metodologia utilizada para conter grandes incêndios é a queima de expansão. É técnica de usar fogo contra fogo. Os brigadistas queimam parte da vegetação e quando o incêndio chega nessa pequena área queimada, o incêndio perde a combustão e para de queimar.

Esse método pode ser classificado como tornar inativo o próprio fogo que vem incendiando tudo.

É sobre isso que o apostolo escreve aos Tessalonicenses: “não apagueis o Espírito” (1Ts 5.19, ARA), “não atrapalhem a ação do Espirito Santo” (NTLH). Deixem que siga seu fluxo pelos meios utilizados por ele.

A palavra apagar retrata do Espírito Santo como um fogo que queima (Is 4.4; At 2.3; Ap 4.5). É sabido entre os cristãos a verdade de que há apenas um interessado em que o fogo do Espírito seja apagado. Como escreveu Pedro, nosso adversário, anda em derredor procurando alguém para devorar (1Pe 5.8) e o próprio Paulo esclareceu que nossa luta não é contra carne e sangue, mas, as potestades do mal (Ef 6.12) que utilizam-se da técnica de queima por expansão para neutralizar a expansão do incêndio.

A palavra apagar significa ressacar coisas molhadas para ficarem secas. É tonar inativo o que está ativo. Essa estava sendo a realidade na comunidade em Tessalônica. Por uma compreensão errônea a respeito da volta de Jesus, muitos cristãos se tornaram preguiçosos, outros diante da dúvida a respeito do que já haviam morrido estavam sendo enganados por falsos mestres e ainda havia o grupo dos desanimados devido a perseguição. O Espírito estava sendo apagado. Cristãos não estavam mais crendo na presença constante de Jesus e assim entristeciam-se diante das circunstâncias e não se alegravam, não oravam e nem davam graças, sendo essa a vontade de Deus.

Outra maneira pela qual o Espírito estava sendo apagado, era pelo desprezo as profecias. As pessoas rejeitavam, desdenhavam as profecias bíblicas, deixando se levar por ensinamentos estranhos a fé cristã.

Aqueles cristãos ainda não tinham a Bíblia completa como nós a temos hoje. Assim, diante dos questionamentos e elucidação de algum tema, preferiam dar ouvidos aos falsos profetas a dar ouvidos as Escrituras Sagradas e aos apóstolos. Assim, a exortação não apagueis o Espírito visa alertar os cristãos a “julgar todas as coisas, reter o que é bom” (1Ts 5.21).

A palavra julgar era usada para que as pessoas testassem, provassem a validade de uma moeda e se o seu metal era genuíno.

Ao exortar os cristãos a “não apagar o Espírito,” o apostolo pediu que os mesmos analisassem bem todas as questões para não serem enganados. João, o apostolo fez essa mesma recomendação na sua carta: “Meus queridos amigos, não acreditem em todos os que dizem que têm o Espírito de Deus. Ponham à prova essas pessoas para saber se o espírito que elas têm vem mesmo de Deus; pois muitos falsos profetas já se espalharam por toda parte” (1Jo 4.1).

O que me chama atenção, é que enquanto aos tessalonicenses, o apostolo Paulo recomenda a não apagar o Espírito, a Timóteo, que também auxiliou nessa carta, Paulo recomenda: “reavive o dom de Deus” (2Tm 1.6), ou seja, atice fogo!

O fogo do Espírito só queima pela combustão do Espírito que ele nos dá pela sua Palavra. Não despreze as profecias. Alegre-se no Senhor. Ore constantemente. Agradeça em todas as ocasiões. E o Deus da paz vos conservará íntegros e irrepreensíveis.

Querido irmão e irmã em Jesus “não apagueis o Espírito.

Já antes da pandemia do COVID-19, muitos lugares mundo a fora registravam fechamento de templos e a transformação desses lugares de culto em biblioteca, danceteria, casa de show .... Durante a pandemia, templos foram fechados para evitar aglomeração e contaminação em massa. As pessoas passaram a ser incentivada a assistir cultos e programações on-line. E muito joio têm sido semeado e pessoas sendo enganadas e assim, mesmo com a reabertura dos templos, muitos que passaram a desvalorizar a Bíblia, não retornarão mais. Já manifestei essa minha preocupação outras vezes e, por isso, aconselho vocês a darem atenção a exortação do apostolo Paulo: Estejam sempre alegres, orem sempre e sejam agradecidos a Deus em todas as ocasiões. Isso é o que Deus quer de vocês por estarem unidos com Cristo Jesus. Não atrapalhem a ação do Espírito Santo. Não desprezem as profecias. Examinem tudo, fiquem com o que é bom e evitem todo tipo de mal. Que Deus, que nos dá a paz, faça com que vocês sejam completamente dedicados a ele. E que ele conserve o espírito, a alma e o corpo de vocês livres de toda mancha, para o dia em que vier o nosso Senhor Jesus Cristo. Aquele que os chama é fiel e fará isso” (1Ts 5.16-24). Amém!

ERT

quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Deus é paciente com o pecador!

 

SEGUNDO DOMINGO DE ADVENTO

Salmo 85; Isaías 40.1-11; 2Pedro 3.8-14; Marcos 1.1-8

Texto: 2Pedro 3.9

Tema: Deus é paciente com o pecador!

 

         Ninguém tem paciência comigo!

         Deus têm!

         Diante dos ataques dos falsos mestres, o apostolo Pedro, aconselha os cristãos à não esquecerem a paciência de Deus (2Pe 3.9). Muitos falsos mestres diziam que Jesus estava demorando e julgando que o retorno de Cristo não aconteceria. Afirmavam que se Jesus fosse voltar, isso já teria ocorrido, mas sua demora afirmava que Cristo não voltaria e que sua promessa era falha.

         Diante desses ataques dos falsos mestres, Pedro, o apostolo destaca as promessas de Deus, outrora anunciadas pelos profetas no antigo testamento, por isso, já no capítulo escreveu: “Pois nenhuma mensagem profética veio da vontade humana, mas as pessoas eram guiadas pelo Espírito Santo quando anunciavam a mensagem que vinha de Deus” (2Pe 1.21). Também destaca a paciência de Deus.

         Enquanto que os falsos mestres diziam que se Jesus fosse voltar, ele já teria voltado, Pedro responde sobre o por que está demorando voltar. “...Ele tem paciência com vocês porque não quer que ninguém seja destruído, mas deseja que todos se arrependam dos seus pecados” (2Pe 3.9).

         Enquanto os zombadores usavam acusavam que a demora de Jesus significava indiferença, descuido e impotência do Senhor, o apostolo escreve: “O Senhor não demora ...” (2Pe 3.9), destacando o Senhor não é indiferente, nem despreocupado, descuidado e impotente. O fato é que Deus têm uma agenda salvadora e usa todo seu tempo para esse fim.

         O Senhor não está desatento, ele é paciente para com o pecador a quem ama. Ele deseja que os pecadores se arrependam e assim recebam perdão, vida e salvação, e sejam salvos (2Tm 2.4).

         Muitos desejam que Jesus retornasse hoje, afinal, seu retorno significa a posse da vida eterna para os que creem. É o fim da dor, do sofrimento, mas, o fato é que Deus continua muito atento para com o pecador a quem deseja salvar. Muitos precisam de um tempo a mais, e sendo seu todo o tempo, concede mais um dia para que eu me arrependa e viva. Amém!

ERT

Dormindo tranquilo enquanto tudo parece desmoronar!

  18 de abril de 2021 Salmo 4; Atos 3.11-21; 1João 3.1-7; Lucas 24.36-49 Texto: Salmo 4 Tema: Dormindo tranquilo enquanto tudo parece...