Translate

terça-feira, 3 de abril de 2012

Questão de Vida ou Morte!

A IGREJA COMUNICA A VIDA
Fundamentando (Jesus a Rocha Firme)
O Senhor é a minha rocha poderosa e o meu abrigo” (Sl 62.7)
                                                            Abril de 2012
Tema do mês: No mês da mentira, a Igreja comunica questões verdadeiras.
05/04/12 – quinta feira santa
Sl 116. 12 - 19; Ex 24. 3 - 11; 1Co 10. 16 - 17; Mc 14. 12 - 26
Tema: Questão de vida ou morte!
Destaque:
Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo?" (1Co 10.16)

            A Igreja Luterana tem sua posição quanto à doutrina da Ceia do Senhor formada e fundamentada na Palavra de Deus. Sobre essa doutrina, os luteranos a têm expressa e proclamada na Fórmula de Concórdia. E é importante que relembremos sobre essa doutrina, principalmente hoje quando o texto bíblico nos traz esse tema de estudo. Santa ceia é uma questão de vida ou morte.
Setores da vida humana, bem como das esferas da filosofia, ciência, tecnologia se desenvolveram. Será que a doutrina seja ela qual for também precisa se desenvolver a ponto de desprezar seu verdadeiro sentido? Talvez alguns respondam sim, outros não. No entanto, para uma resposta mais contundente, continuemos no estudo da Palavra.
            O século XVII registrou a decadência da vida sacramental. Há dados fidedignos de que na Alemanha, entre os anos de 1700 – 1800 ocorreram um decréscimo de 90% na participação no sacramento do altar entre os luteranos. Também, pelas liturgias, se observa que no século XVII, a mente européia estava vazia quanto ao entendimento e valorização do sacramento do altar. Neste século predominava o Pietismo, Iluminismo e Racionalismo. Os mesmos testemunharam e contribuíram para a queda ainda mais acentuada na compreensão dos sacramentos, batismo e santa ceia.
            Durante o século XIX a igreja renovou seu interesse pelo sacramento do altar, valorizando seu ensino e sua prática. É necessário e urgente que continuemos a valorizar a santa ceia e continuar em sua prática de acordo com Bíblia. Para isso esclareçamos alguns pontos, seguindo Paulo em 1Corintios 10. 16.
            Uma pergunta:
            Na santa ceia o verdadeiro corpo e sangue estão verdadeiramente presentes e são recebidos com e sob o pão e o vinho oralmente por todos que fazem uso do sacramento, quer sejam dignos ou não, piedosos ou não, crentes ou não? Nossa resposta de acordo com a Bíblia é SIM. Para os cristãos é recebido para consolo e vida, aos descrentes para juízo eterno. Uma questão de vida e morte.
            Há muita controvérsia em torno da santa ceia devido a dois tipos distintos de sacramentários. Os crassos, que manifestam, com palavras transparentes e claras, como crêem no coração: “que na santa ceia apenas pão e vinho estão presentes, são distribuídos e recebidos oralmente”. Há também os sacramentários sutis. Esses são os mais prejudiciais de todos. Falam de maneira aparentemente verdadeira com as nossas palavras, e “alegam que também crêem numa presença verdadeira do verdadeiro, essencial e vivo corpo e sangue de Cristo na santa ceia, mas que isso se dá espiritualmente, pela fé”. Com essa aparente verdade, cometem o mesmo erro que os crassos, ou seja, não dão nada mais nada menos que apenas pão e vinho. Por espiritual, significa que o Espírito de Cristo está presente, não o seu corpo, pois o mesmo está no céu. E estando no céu, devemos nos elevar a ele pelos pensamentos de nossa fé, e lá, no pão e no vinho da santa ceia, devemos procurar esse corpo e sangue. (Livro de Concórdia, p. 518 – 519).
            1Co 10. 16:Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo?"
            Da ceia do Senhor se ensina que o verdadeiro corpo e o verdadeiro sangue de Cristo estão verdadeiramente presentes na ceia sob a espécie do pão e do vinho e são neles distribuídos e recebidos.
            A santa ceia não foi um sacramento criado por homens. É um assunto espiritual extremamente profundo, e não cabe em nossa razão. Mas, a medida do avanço cientifíco e tecnológico, muitos desejam oferecer interpretações racionais sobre a santa ceia, no entanto, santa ceia é questão de fé. O ensino da Bíblia é claro e mostra que a santa ceia foi instituída pelo próprio Cristo. E no pão e no vinho recebemos o verdadeiro corpo e sangue de Cristo. A verdade da presença real de Cristo na santa ceia está expressa em Mateus 26. 26 – 28:
Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos seus discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo.
A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados.

Esse ensino é repetido por Paulo em 1Co 11. 23 – 26:
Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

E no nosso texto de reflexão Paulo pergunta:
Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo?. (1Co 10.16).
Será essa pergunta necessária em nossos dias? Não apenas devido aos sacramentários crassos e sutis, mas pelo fato de sermos pecadores. E como tais, nos afastamos desse sacramento por esquecer seu verdadeiro proveito: “remissão dos pecados”. Nossa mentalidade e vida está semelhante aos cristãos da Europa do século XVII? As estatísticas apontam que a media de participação na Santa ceia na IELB é muito baixa, em torno de 33%. Estamos dando pouco valor a este sacramento. É necessário que falemos desse sacramento e de sua importância. Pois nem mesmo os apóstolos deixaram de falar. A importância se deve ao fato de que Jesus mesmo o instituiu e a necessidade é a maior de todas: o perdão.
            Cristo me dá o maior presente na santa ceia. Ele me dá sua vida. Na santa ceia Jesus dá ao comungante o máximo de si: ele dá a si mesmo. Ele dá o seu corpo e o seu sangue, ou seja, a própria vida.
            Toda pessoa que vai diante do altar recebe o verdadeiro corpo e sangue de Jesus. Uma questão de vida e morte. No entanto, há uma enorme diferença. O pecador arrependido recebe a ceia de Jesus como bênção para perdão dos seus pecados e fortalecimento da sua fé. O pecador que não está arrependido recebe a ceia do Senhor, o corpo e o sangue, mas para juízo, para a sua condenação. Por isso Paulo faz uma séria advertência em 1Co 11. 28 – 29:
Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice; pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si.

            Examine-nos, e se estamos em Cristo, verdadeiramente arrependidos, cremos que com e sob o pão e o vinho recebemos o verdadeiro corpo e sangue de Cristo, não deixemos de participar e receber o próprio Cristo para perdão e fortalecimento da fé.

Pr. Edson Ronaldo Tressmann
44 – 3462 - 2796
cristo_para_todos@hotmail.com

Idéias extraídas do livro: Isto é o Meu Corpo. Hermann Sasse. Editora Concórdia, São Leopoldo, RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário